terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Cartas entre mãe e filho.

Carta de um filho a uma mãe:

Eu já sou grande. Nunca serei tão grande quanto tu, mas quero que saibas que tu já me ensinaste a caminhar e agora, por minhas próprias pernas. eu posso seguir o meu caminho. Certamente não vou seguir o caminho que tu escolheste para mim, pois também me ensinaste a olhar para os lados, mas vou lembrar a cada passo, tudo o que tu me ensinaste.
Já sei falar, comer e escrever sozinho. Tu mesmo me ensinaste. Sei que muitas vezes tu pensas que eu não lembro quem me guiou a todo o pouco que conquistei, mas não há um só dia que eu não agradeça a Deus por ter te escolhido como minha mãe... Foste tu também quem me ensinou a conversar com o papai do céu.
De tudo o que aprendi contigo o que mais me lembro é de saber a diferença entre o certo e o errado, e essa parte de ti que eu levo comigo em todas as palavras que eu digo. Sei que as vezes eu, gente grande, não consigo mais entender o que tu passa como mãe. Provavelmente porque ainda não sou pai, mas um dia serei e então te entenderei.
Não sou o melhor filho do mundo, provavelmente não sou nem o melhor dos teus filhos, mas tu me ensinou a amar o meu irmão e sempre desejar que ele fosse melhor do que eu. Talvez algum dia eu tenha te envergonhado com meus atos, ou te machucado com as minhas palavras, mas é natural, pois sou imperfeito e a única coisa que me garante que tu irá me entender é que tu, também, es uma filha e que para tua mãe nunca irá crescer, assim como eu para ti, sempre estarei em teu colo.


Carta e uma mãe ao filho:

Tu tens razão quando dizes que tu nunca irás crescer, mas já te vejo, hoje, maior que eu. Se eu te corrijo, é porque quero evitar que tu tropeces nas mesmas pedras que eu.
Assim como tu reclamas de mim eu também reclamava da minha mãe e ela nunca desistiu de mim assim como eu nunca irei desistir de ti.
Para ti, talvez, eu seja velha, os meu tempo já tenha passado, mas o que tu não entende é que eu ainda estou te preparando para a vida e para tudo o que ainda virá nos teus dias.
Nunca quis te machucar, e quero que saiba que tenho orgulho de teus atos, embora eu não fosse fazer a maioria deles. Creio que aprendeste bem.
Se algum dia eu lutei pela minha vida, foi porque eu sentia que tu e teu irmão ainda precisavam de mim. Sei que vocês sabem caminhar pelas próprias pernas, mas sei também que vocês vão cair e eu preciso estar ali para levantá-los.
Entendas, meu filho, que quando vocês nasceram me tornaram outra pessoa. Antes eu era uma esposa, profissional, uma cidadã e mais um monte de títulos que a vida nos coloca, mas quando te tive em meu colo, eu soube que abriria mãe de qualquer coisa simplesmente para poder ser tua mãe e ainda que os dias nos afastem e que a vida nos leve para longe um do outro, nada nunca irá mudar o fato de eu ser tua mãe e tu ser meu filho. E nem que os meus netos te tornem pai, quando eu tiver outra criança em meu colo ela sempre será o espelho do amor que tive por ti desde o primeiro minuto que eu te vi.

3 comentários:

nenecas disse...

ohhh
Fofo demais!

AninhaFreire disse...

Formidável! Lindo d +!
Adorei seu blog, estou participando! Participa do meu tbm! Bjussssssssssss mil
http://doce-e-ma.blogspot.com/

Atta Rehman disse...

Incidentally, I like the way you have structured your site, it is super and very easy to follow. I have bookmarked you and will be back regularly. Thank you
karachi online shopping