sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

SEXTA

HISTÓRIA
(na manha do Badanha)

Com a valorosa contribuição do Bruxo Burd, lá vou eu. Quem não ouviu falar no Badanha??? Pois Badangna (grafia correta) foi um goleiro uruguaio que jogou profissionalmente em Bagé na década de 50. Não era exatamente um bom goleiro, logo era citado pelos jornais como um péssimo arqueiro. A mãe zelosa do jogador, insuflava-se em ir até os jornais reclamar das injustiças contra o seu filho. A senhora virou piada e logo, a Mãe do Badanha virou dito popular, tendo como significado, algo sem importância ou ridícula: "Var se queixar com a mãe do Badanha". Pior, sua corruptela é “na manha do Badanha”.

NOTÍCIA
(Seguro)

As duas telas roubadas do MASP, O Lavrador de Café de Cândido Portinari e Retrato de Suzanne Bloch de Pablo Picasso, não tinham seguro. Os quadros são avaliados em mais de 55 milhões de dólares juntos. Segundo um representante do MASP é inviável segurar obras caras.

DA REDAÇÃO
(Não vale a pena)

Tem coisas que não valem a pena. Imagine... se segurar um bem, seja qual for, de 55 milhões de dólares? Bueno, algo ta errado por ai... Desculpem-me. De qualquer forma, acreditem ou não, vários especialistas garantem que as obras perdem valor comercial no momento que são roubadas. Me parece claro que estes nunca assistiram na seção da tarde, os filmes que mostram como funciona o mercado clandestino de arte.
**** Ainda hoje no Blogordão: Receita para o fim de semana (de Natal) e Mensagem de Natal.

11 comentários:

Felipe disse...

Sugestão, caro amigo...

origem da expressão "recarregar as baterias"...

abraços e bom descanso!

Carlos Mota disse...

Com o devido perdão e esperando contar com a compreensão de quem é "fissurado" em obras de arte, eu acho que é muito dinheiro por algumas pinceladas. Qualquer obra chamada de arte vale mais do que uma vida humana!!!

Tiago Paixão disse...

Já discutimos isso aqui... mas sinceramente eu acho que vale... Mais que uma vida humana? Não sei... quanto vale a vida???

Homem do disse...

O conceito de "vida humana" inclui vida de bandido ou de motoboy?

Homem do Contra disse...

Comentário de cima...

Assinado.

Homem do Contra

Homem do Contra disse...

Não tinha alarme, não tinha seguro.

E obviamente ainda valem uma banana essas obras de arte.

Fiquei besta com o amadorismo da segurança do MASP, qualquer lugar que guarde tanta coisa cara tinha que ter um sistema melhor.

Mas a questão seguro envolve um tal cálculo atuarial, tem vezes que mesmo não valem a pena.

Tiago Paixão disse...

Vamos deixar claro!!! Apenas para evitar uma injustiça... Motoboy veio parar na conversa porque eu falei em tele-entrega no post anterior... não tenho absolutamente nada contra motoboy... pelo contrário...

Carlos Mota disse...

Se o cara vira bandido ou motoboy tresloucado, abdicou da condição de humano.

Tiago Paixão disse...

Que dizer de jornalistas e radilistas "trasloucados"????

Homem do Contra disse...

Esses talvez sejam os mais periculosos...

Ainda bem que eu não conheço nenhum.

Tiago Paixão disse...

rê rê rê!!!!