terça-feira, 15 de junho de 2010

Minha pátria não calça chuteiras

Minha pátria não usa chuteiras

Desculpem os eufóricos. Desculpem os brasileiros, desculpem jogadores, torcedores e profissionais do patriotismo. Eu não calço as chuteiras da pátria. Amo o esporte, amo o futebol, amo o meu país, mas não calço as chuteiras da copa do mundo.
É lugar comum os não tão bem humorados dizerem que em época de copa se esquece tudo, se pára de trabalhar, se usa verde amarelo e tudo mais. Isso não me incomodaria se realmente a pátria fosse representada por uma camisa verde amarela, por pessoas que conhecem a amam seu país e que minimamente se preocupassem com o que acontece de fato no BRASIL.

O pão e circo tem sido historicamente a prática que melhor define o Brasil. O circo é a seleção, mas os palhaços somos nós. Não é por acaso que hoje o nosso presidente(com letra minúscula mesmo) vai vetar o aumento para os aposentados, amante de futebol da cachaça e de outras coisas tão brasileiras, ele escolheu a dedo o dia para o veto. Ninguém vai dar bola para isso, pois o jornal nacional será totalmente dedicado a vitória brasileira contra a Coréia do Norte. É o Brasil, um país democrático, livre, vencendo uma nação que tem um ditador tirano. Durante a Guerra fria também era assim, os países livres contra os comunistas malvados.

A pátria de chuteiras vende camisetas americanas. A pátria de chuteiras vende vuvuzelas fabricadas na china com trabalho infantil. A pátria de chuteiras transforma em heróis nacionais jogadores que escolheram viver fora do Brasil, pois aqui viram que não dá... Afinal, eles amam o Brasil, mas jogam no Barcelona, na Inter de Milão, Manchester United e por ai vai... E é claro o amor deles a pátria é retribuído com 1 milhão de reais para cada um caso levem o caneco para a casa.
Enquanto isso, as empresas param, os aposentados perdem 7 por cento de aumento, o Brasil pára. Bancos, serviços públicos e até postos de saúde, afinal, ninguém ficará doente no momento do jogo. Esqueçam a gripe A, esqueçam a dengue. Esqueçam tudo, mas lembrem-se da hora do jogo

Falam da Argentina, falam do Maradona e dizem que ele é um péssimo exemplo. Talvez por que ele nunca assinou embaixo de tudo o que mandaram fazer. É um cara normal, com erros defeitos e problemas. Ainda assim ama o seu país. É por isso meus caros que eu não calço as chuteiras, não visto verde amarelo e sim, no momento do jogo eu me envergonho de gostar de esporte, de amar o futebol e de ser brasileiro.

3 comentários:

Cássio Pfütz (Caz) disse...

Imaginem só quando a copa for por aqui....
Vai dá político batendo carteira em estádio.
É triste :/

Knucles disse...

Infelizmente tudo coopera pra isso continuar. A massa que ira parar para ver o futebol é a mesmo massa que desliga a tv em horário político.

La Fleur disse...

Pelo menos, por conta do outro circo (ano eleitoral), o asno do Lula sancionou os 7.7%.

Ah, e eu assisti o jogo, de verde-e-amarelo e tudo. =P