quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

QUARTA

HISTÓRIA:
(Meia-tigela)

Seu... seu... seu... Jornalista de meia tigela. Quem nunca ouviu essa expressão? Por nos remete a Portugal, na época da nobreza. Os nobres, de acordo com as regras estabelecidas, deveria diferenciar os nobres dos não nobres em todos os momentos, até na hora da refeição. Na hora da comida por exemplo, caso o plebeu fosse convidado para comer junto com o nobre, tinha, por lei, que ter sua refeição servida na metade da quantidade do nobre. Logo, Alguém que tentasse se passar por nobre, tinha na verdade, metade de sua tigela cheia de comida, logo, era um nobre de meia tigela.

NOTÍCIA
(Polêmica)

O Governo Italiano pretende colocar na lista internacional de procurados, 13 brasileiros responsáveis pela participação da Operação Condor, projeto idealizado por Pinochet que previa a integração da repressão de Brasil, Argentina, Uruguai e Brasil. Os Brasileiros teriam colaborado no seqüestro e posterior eliminação de dois Ítalos-argentinos em 1980. Como o Brasil não permite a extradição de Brasileiros, os acusados somente devem ser presos se forem pegos fora do Brasil.

DA REDAÇÃO
(Anistia)

Deve-se lembrar que os acontecimentos foram registrados depois da lei da anistia, portanto, nem mesmo o artifício usado para que as atrocidades realizadas pelos agentes do estado não fossem presos, pode ser utilizado. Devem ir pra cadeia mesmo. Antes tarde do que nunca, mesmo que para que sejam punidos, seja necessário que um país mais evoluído ajude a punir esses bandidos.

9 comentários:

Homem do Contra disse...

"mesmo que para que sejam punidos, seja necessário que um país mais evoluído ajude a punir esses bandidos"

E assim se justifica a intervenção americana no Iraque.

Soberania.

Claro que tem que pegar essa gente, mas a gente tem que pegar essa gente.

Tiago Paixão disse...

Muita hora nessa calma... é diferente... ninguém está invadindo o Brasil pra fazer isso... Pelo contrário está usando-se de expedientes legais para tanto. Ademais estão tomando esta atitude por considerarem cidadão italianos como vítimas das atrocidades...
Concordo que temos que pegá-los aqui, de qualquer sorte, entenda que bandido protege bandido... logo, estão livres!!!

Homem do Contra disse...

É que para mim (MIM técnico), ataque à Soberania é ataque a Soberania. Não tem maior nem menor.

É que nem roubar R$ 1,00 ou R$ 1.000.000,00.

É o mesmo crime. Roubo.

Tiago Paixão disse...

entendo o teu ponto de vista... mas não considero intervenção... é um crime contra italianos, e pelo que eu li, quando o crime é contra italianos, não necessariamente é necessário que o crime aconteça no território da bota.
Além disso... ninguém vai vir no Brasil prender os vagos, vão esperar cair no colo deles... logo, não considero uma invasão.

Dois abraços pra ti

Homem do Contra disse...

O Direito Penal é norteado princípio da territorialidade, segue a regra do local onde é cometido o crime.

Não fosse assim, virava o samba do afro-descendente com problemas mentais.

Crime cometido no Brasil é julgado no Brasil com as penas das leis brasileiras.

Vez em quando a imprensa noticia algum caso de brasileiro que é levado à pena capital no exterior.

Tiago Paixão disse...

Blz... é melhor deixar impune mesmo... O que é uma pena... pq nem todos terão o mesmo remédio que o Pinochet teve graças a um juiz espanhol.

Homem do Contra disse...

Isso, deixa impune, é exatamente o que eu estou defendendo!

E quanto ao caso Pinochet eu, na época aos 18 anos e academico de direito, já tinha capacidade intelectual suficiente para entender o que é soberania, tanto que escrevi defendendo a chilena exatamente como estou defendendo a brasileira agora.

Tiago Paixão disse...

É realmente não tenho a capacidade intelectual que tu tem!

Homem do Contra disse...

Sabes muito bem que tem.

Maior, inclusive.

Talvez o que nos empate seja a minha boa-ventura de não me filiar a paixão ideológica alguma.