sexta-feira, 30 de novembro de 2007

SEXTA

HISTÓRIA
(Cavalo)

Algumas das expressões que usamos todos os dias são carregadas de um preconceito muito grande. “Cavalo dado não se olha os dentes” é uma “evolução” de outra expressão: “Escravo dado não se olha os dentes”. Quando ia se comprar um escravo, a primeira coisa que o senhor fazia era examinar a boca do escravo, quando este era dado de presente, no entanto, era uma grande indelicadeza e considerado uma afronta se os dentes fossem examinados. Com o fim da escravatura, a expressão mudou.

NOTÍCIA
(Eu já sabia)

Quem lê o Blogordão, já sabia: Secretário Malman, ofendido com uma declaração do Delegado Juliano Ferreira, tentou afastar o delegado de suas funções depois que este questionou a eficácia da chamada Lei Seca. Ferreira, considerado um dos delegados mais eficientes do Brasil (pelo Ministério Público) foi mantido no cargo devido a apelos de técnicos do governo. O secretário, no entanto, vai exigir um retratação do delegado.

DA REDAÇÃO
(Falando grosso)

O Secretário, religioso uma barbaridade, não aceita ser contrariado. Sua cruzada contra a bebida alcoólica é doentia. Ele não admite nem mesmo que números questionem a eficácia de sua famigerada lei. Sua motivação é pessoal, no entanto, esquece uma premissa básica: O privado não deve influenciar no público. O secretário é o retrato claro de um governo, de um plano arrogante que não deu certo.

Um comentário:

Homem do Contra disse...

O Secretário é uma besta.

Casa bem com a sociedade na qual vivemos. Se Capitão Nascimento é herói e Lei Seca resolve a violência, estamos bem de secretário.

Já te disse, tu pregas no deserto, querido amigo.

Faz muito tempo que nariz de porco virou tomada.